Posts Tagged as Flora Alves

Flora_Livraria

Flora Alves estreia como autora em noite de sucesso

No dia 18 de setembro, Flora Alves, sócia-fundadora da SG, recebeu amigos, familiares e companheiros de trabalhado para comemorar o lançamento de seu livro Gamification – Como criar experiências de aprendizagem engajadoras. Um guia completo: do conceito à prática. (DVS Editora). O encontro aconteceu na charmosa Livraria da Vila, no Shopping JK, em São Paulo. Ao longo da noite, Flora autografou vários livros e recebeu o carinho dos convidados.

Nas páginas da publicação, a autora mostra como profissionais que trabalham com ensino formal e instrução podem utilizar elementos dos games para conquistar resultados mais efetivos. Utilizando explicações claras do conceito e exemplos reais, o leitor aprende como e quando colocar o gamification em prática.

Gamification – Como criar experiências de aprendizagem engajadoras. Um Guia completo: do conceito à prática, é a oportunidade perfeita para quem deseja conhecer ou se aprofundar no tema. Trata-se de um guia prático, no qual o leitor encontra subsídios sobre o tema, criando suas próprias soluções de aprendizagem gamificada.

O livro já está disponível para compra nas principais livrarias do Brasil e o preço sugerido é de R$ 39. Quem preferir, pode adquirir a versão digital, que está disponível no site da Amazon.

Capa

Livro de Flora Alves chega às lojas em setembro

Depois de meses de muita pesquisa e trabalho, falta pouco para o lançamento do livro Gamification – Como criar experiências de aprendizagem engajadoras. Um guia completo do conceito à prática. Escrito por Flora Alves, sócia-fundadora da SG, e editado pela DVS Editora, a publicação é leitura indispensável para todos aqueles que, de alguma maneira, estão ligados a processos de educação e aprendizagem. Seja esta educação formal ou informal, inserida no ambiente acadêmico ou profissional.

Ao longo das páginas, Flora traduz toda a sua expertise no assunto utilizando uma linguagem eficiente, capaz de atingir e proporcionar o entendimento do gamification para todo e qualquer público. Abordando situações atuais do mercado de trabalho, como a diferença de gerações e a disseminação da tecnologia, a autora mostra como esse conceito já permeia o nosso dia a dia. Do ponto de vista prático, o livro discute e sugere a aplicabilidade do gamification como ferramenta de Design Instrucional, tornando a aprendizagem mais atrativa, divertida, engajadora e, consequentemente, efetiva.

Marque na agenda: o lançamento será no dia 18 de setembro, na Livraria da Vila do Shopping JK, das 18h30 até às 21h30. Compareça, garanta o seu exemplar e aproveite para trocar ideias sobre esse assunto tão encantador e atual.

Screen Shot 2014-06-27 at 11.51.33 AM

SG ministra mais um workshop na ABTD

No dia 3 de julho, Flora Alves, sócia-fundadora da SG Soluções e Gestão Empresarial, e o palestrante Karim Khoury irão liderar um workshop com oito horas de duração, na Estação Treinamento da ABTD, em São Paulo. Desta vez, a dupla abordará questões referentes às “Competências do Instrutor na Prática”, ajudando o participante a melhorar e adquirir novas habilidades que facilitam a aplicação de treinamentos. Este workshop mostrará, na prática, como funciona o modelo de competências da formação de Instrutor Master.

De acordo com estudiosos da área de T&D, o sucesso de um treinamento está intimamente ligado ao desempenho daquele que o aplica. Cabe ao facilitador contribuir para a aprendizagem, colocando em prática um conjunto de competências que assegurem o alcance dos objetivos instrucionais e utilizando metodologias adequadas para cada tipo de conhecimento. Por isso, este workshop é recomendado para consultores e instrutores em busca de atualização e desenvolvimento, além de profissionais responsáveis por avaliar e contratar treinamentos. Aos novatos que desejam ingressar nessa área, vale a pena fazer uma autoavaliação para detectar algumas qualidades essenciais que esse tipo de profissional precisa ter – que vão muito além de comunicação e didática, facilidade de relacionamento e raciocínio rápido.

Ao longo da aula, Flora e Karim irão explorar a importância do instrutor de treinamento no processo de aprendizagem e, também, vão elencar os principais desafios enfrentados por esses profissionais. Equilibrando teoria e prática, os experts dividirão com os presentes dicas para criar um ambiente favorável ao treinamento, atividades que contribuem para o desenvolvimento e técnicas para engajar ainda mais os participantes.

No final do workshop, os envolvidos serão capazes de: reconhecer as competências essenciais de um instrutor; identificar e reagir de forma assertiva a comportamentos apresentados pelo aprendiz ou orientado adulto; avaliar a aprendizagem dos participantes e elaborar um plano de desenvolvimento individualizado; selecionar métodos de aprendizagem eficazes para a construção de novos conhecimentos.

As inscrições para esse evento já estão abertas! Outras informações sobre o encontro, como valor de investimento, horários e formulários para inscrição, estão disponíveis no site da ABTD.

valencia2

Flora Alves lançará livro sobre o gamification

Quem acompanha a página da SG no Facebook já sabe que, no mês passado, nossa sócia-fundadora embarcou para Valência, na Espanha, onde passou uma temporada dedicada à produção de seu livro. De volta ao Brasil, Flora Alves conta sobre o processo de pesquisa e criação dedicada à publicação e o porquê da escolha do gamification como tema principal do livro.

BLOG: Como surgiu a ideia de escrever um livro? A escolha do tema já era uma certeza ou foi sendo amadurecida com o tempo?

FLORA: Acredito que escrever um livro seja algo que todos nós, em algum momento de nossas vidas, desejamos fazer. Para mim era um sonho antigo, pois tenho uma história de amor com os livros desde muito cedo, herança de minha mãe. A escolha do tema, entretanto, foi uma consequência natural de uma jornada de pesquisa e mergulho profundo no universo do Gamification. Num dado momento, foi como se o livro me pedisse pra ser escrito.

B: O que exatamente ele irá abordar? Teremos algo específico ao público brasileiro?

F: O livro aborda o conceito todo. Desde seu significado, origem e história até exemplos práticos, referências para aprofundamento de pesquisa e uma ferramenta para o leitor se aventurar na construção de uma solução gamificada. O conceito central gira em torno do uso do gamification na aprendizagem. Por ser um livro técnico, com características didáticas, ele se destina a todos os profissionais ligados à educação – seja ela corporativa ou não – e que estejam em busca de soluções de aprendizagem engajadoras, capazes de motivar a ação e mudar comportamentos.

B: Como a sua ida a Valência ajudou no processo de criação?
F: Escrever um livro exige foco, concentração e uma boa dose de transpiração. Senti que precisava me descobrir nesta atividade e escolhi Valência por duas razões. A primeira foi a oportunidade de estar com amigos muito queridos, que me receberam em sua casa e me proporcionaram o equilíbrio perfeito entre acolhimento, carinho e espaço para criar. Carla Bello e Javier Barrasa Sierra tiveram um papel fundamental neste processo, meu eterno agradecimento a ambos. A segunda foi o encantamento que Valência exerce em mim. Uma cidade pequena, quente, viva e repleta de história. Isso sem falar na arquitetura, na oportunidade de viver ao ar livre mesmo no inverno e a gastronomia ímpar. Simplesmente o cenário perfeito para este projeto.

B: Quais foram os principais desafios encontrados nesse processo?
F: Sem dúvida, o principal desafio foi encontrar a forma, descobrir o estilo, criar um livro rico em conteúdo e consistência sem ser chato ou cansativo, com reflexões, exemplos, atividades e ganho efetivo para a prática profissional do leitor. Nos primeiros dias, me senti como se eu mesma fosse um personagem de um game, lutando para passar para a próxima etapa. Era como se uma pilha de folhas virtuais amassadas fosse crescendo a meu lado até que chegasse o momento do “aha!”. Foi aí que o processo se transformou num fluxo suave e estruturado.

B: Como a sua experiência no assunto pode ser sentida no livro?

F: Isso foi a base de tudo. O livro não existiria sem a experiência. Ele é o resultado de meu próprio processo de aprendizagem e prática no desenvolvimento de soluções de aprendizagem gamificadas. O contato com clientes foi um laboratório, pois juntos acreditamos no poder dos games e aprendemos a utilizar sua estrutura para promover engajamento e aprendizagem. Já com os alunos acontece um processo muito interessante, já que para eles (e também por eles) a pesquisa é contínua. Aprendemos muito mais quando ensinamos e assim construímos juntos oportunidades para o nosso laboratório diário.

B: O livro já está finalizado?

F: O projeto está 70% pronto. Um trabalho intenso, cheio de carinho e muita, mas muita aprendizagem!

B: Já há uma previsão de lançamento?
F: Minha meta é ter o livro publicado em meados de Setembro. Tudo indica que estará disponível na versão impressa e digital.

B: O que podemos esperar de novidades sobre o gamification?
F: Melhor do que falar é proporcionar a você a oportunidade de refletir sobre o que vem por aí. Por isso, convido todos a fazerem uma pausa de 8 minutos para assistir a um projeto de graduação de Eran May-raz e Daniel Lazo. Clique aqui e, depois, me conte o que você acha que vem por aí quando o assunto é gamification!

Primeira_CBTD13

Desmistificando o gamification no CBTD 2013

O Congresso Brasileiro de Treinamento e Desenvolvimento, maior evento de T&D da América Latina, acontecerá entre os dias 26 e 29 de novembro, na cidade litorânea de Santos. Nessa 28ª edição do encontro, a SG Soluções e Gestão Empresarial estará presente em um estande durante todo o evento e, também, conduzirá o workshop “Desmistificando o gamification, do conceito à prática”, que ocorrerá no dia 27, das 9h às 12h. Flora Alves, sócia-fundadora da SG e especialista no assunto, será a facilitadora do workshop. De acordo com ela, o tema surgiu após a realização de extensas pesquisas e da vontade de compartilhar esse conhecimento com outros profissionais que tenham o intuito de aplicar tais conceitos nos processos de uma organização. “Sabemos que variáveis como tempo e budget, são levadas em conta na hora da aplicação de um treinamento e que tais detalhes podem funcionar como fator restritivo. Por isso, oferecer soluções viáveis, que promovam a aprendizagem, pode ser um grande diferencial”, analisa Flora.

O gamification é um conceito que se apropria da mecânica dos jogos para promover o engajamento das pessoas, sendo bastante usado em programas de treinamento e desenvolvimento pessoal. E, como qualquer novidade, há também muitas dúvidas sobre o assunto. A principal delas refere-se às definições de “ferramenta” e “conceito”. “O gamification é um conceito, e o público está buscando uma compreensão de todos os elementos que o compõem para promover uma experiência diferenciada e efetiva de aprendizagem”, explica a sócia-fundadora da SG Soluções e Gestão Empresarial. No geral, essa falta de conhecimento pode levar a situações de resistência quando programas falhos são aplicados. Flora constata dois aspectos essenciais para um treinamento baseado no gamification: o primeiro refere-se à aplicabilidade do projeto, levando em conta seu objetivo, e o segundo ao processo do jogo em si. “Não podemos nos limitar apenas à contagem de pontos. É preciso criar uma dinâmica de jogo que desenvolva o pensamento e o aprendizado, para que a experiência seja eficaz”, alerta.

Entretanto, não há dúvidas sobre o valor do gamification e sua aplicabilidade no mercado de T&D. Muitas pesquisas apontam que o uso do conceito é uma maneira assertiva na conquista por um maior engajamento e até na mudança de comportamento no ambiente de trabalho. E quem comparecer ao workshop no CBTD 2013 terá a chance de aprender muito mais sobre o assunto. A equipe da SG Soluções e Gestão Empresarial está empenhada e trabalhando muito para oferecer um conteúdo de altíssima qualidade aos participantes do evento. “Quando alguém se inscreve para um workshop é porque está em busca de algo novo para tornar o seu ambiente de trabalho ainda melhor. Por isso, estou empenhada para oferecer a essas pessoas não apenas conhecimento, mas também aplicabilidade, sugerindo materiais e subsídios que levem a isso”, finaliza a facilitadora.

Se você já garantiu a sua participação no workshop “Desmistificando o gamification, do conceito à prática”, fique de olho na nossa fan page. Em breve daremos start nesse jogo!

975375_521975611190823_162484381_n

Bate-papo com a SG!

Entrevistamos Flora Alves, sócia fundadora da SG Soluções e Gestão Empresarial e representante da empresa nos principais eventos ao redor do mundo. Recém chegada de Dallas, de onde voltou com o título de ASTD Designated Master Trainer, Flora abre sua bagagem e divide com a gente os principais aprendizados que trouxe desse período.

BLOG SG: Nesse primeiro semestre de 2013 a SG Soluções e Gestão Empresarial já marcou presença em diversos eventos, tanto no território nacional como internacional. Na sua opinião, quais foram os mais importantes até agora?

FLORA ALVES: Foram três eventos importantíssimos dos quais fizemos parte até agora. O primeiro foi o Business Design Summit, que aconteceu em Berlim no mês de Abril. A proposta desse encontro foi reunir profissionais que trabalham com ferramentas facilitadoras, que ajudam a deixar os processos de trabalho mais visuais. Depois, tivemos o Master Trainer, que foi um curso de uma semana que nos garantiu a certificação internacional da ASTD, estamos agora na reta final. Logo em seguida tivemos a conferência da ASTD. Esses dois últimos eventos foram realizados em Dallas, nos Estados Unidos.

B: Focando na certificação da ASTD Master Trainer, no que consiste o curso?

F: Nós, que trabalhamos com aprendizagem de adultos, precisamos estar sempre atentos para sermos facilitadores e não instrutores. No livroInformar Não é Treinamento, os autores Harold D. Stolovich e Erica J. Keeps citam o seguinte mantra: “um treinamento de sucesso tem que ser centrado no orientado e baseado no desempenho”. Mas, às vezes, caímos na armadilha de fazer algo desenhado para nós mesmos, e não para os outros. O Master Trainer oferece toda uma estrutura para que a gente não cometa esse erro, pois aprendemos na prática o caminho que devemos seguir para estimular o aprendizado e criar um ambiente propício para isso. Basicamente, um facilitador deve demonstrar 25 competências diferentes no momento do seu treinamento, são detalhes que vão desde o preparo do curso até o seu entusiasmo, gestos e contato visual que você mantém com os seus orientandos. No Brasil a gente já faz isso, mas de uma maneira intuitiva e não baseada numa metodologia. O curso é bem rigoroso, a todo o momento temos quatro, cinco pessoas nos observando e dando feedback. É muito enriquecedor!

B: Para a SG Soluções e Gestão Empresarial, qual a importância de se ter uma certificação como essa?

F: Nós estamos sempre em busca de qualidade e excelência. No momento, estamos desenvolvendo um novo produto com foco na formação de treinadores. Para a SG, uma certificação com uma metodologia tão clara e prática como a oferecida pela ASTD nos permitirá criar uma estrutura de treinamento para treinadores. Eles são os melhores na área, e nós estamos sempre em busca do melhor. Não tinha como escolher outro!

B: Quais foram os pontos altos do Master Trainer?

F: Com certeza a estrutura do programa. É algo de altíssima qualidade! Eles fornecem um mapeamento, um caminho muito claro de como deve ser um treinamento eficaz. É um passo a passo, não tem como errar! Você percebe que converteu aprendizado em ação. Logo depois que cheguei de Dallas tive um treinamento e melhorei muito a minha forma de facilitar o aprendizado. É notável!

B: E quanto às dificuldades? Qual foi seu principal desafio?

F: Ser avaliada em uma língua que não é a minha língua-mãe foi um verdadeiro desafio. Tenho total segurança quanto ao domínio do inglês, mas existem pequenas sutilezas que não estão nem relacionadas à gramática que fazem muita diferença. No final das contas, foi mais um grande insight, pois percebi que a linguagem também é uma ferramenta facilitadora de aprendizagem. No Brasil acabamos trabalhando muito de uma forma não verbal, com expressões faciais e sorrisos, por exemplo. Mas sempre precisamos verbalizar.

B: Que tipo de preparação é preciso ter para conquistar uma certificação tão importante como essa?

F: Embora a ASTD não exija nenhum tipo de pré-requisito, é muito importante que o profissional tenha uma boa experiência em sala de aula. As avaliações são muito rígidas, por isso acho difícil que uma pessoa que nunca trabalhou como facilitador consiga ser aprovado. Infelizmente temos essa falha na nossa educação formal, pois não somos preparados para enfrentar apresentações e até falar em público. A certificação exige um conhecimento profundo em aprendizagem de adultos, com o mínimo de experiência e vivência na área.

B: Após o curso de certificação e antes da Conferência da ASTD você também participou de um workshop, focado em mapeamento de jornadas de liderança. Quais foram os principais aprendizados?

F: O desenvolvimento de uma liderança efetiva tem sido um dos principais desafios das grandes organizações. Nós da SG estamos trabalhando muito em cima disso, desenvolvendo programas customizados, promovendo uma composição de eventos que acontecem antes, durante e depois do treinamento do líder. Assim é possível mensurar o quanto essa liderança progrediu. O grande ganho desse workshop foi poder trocar experiência com profissionais do mundo inteiro que atuam nessa área. Ficamos de olho nas principais tendências e construímos contatos muito importantes, que com certeza vão gerar ótimos frutos para nossos futuros trabalhos.

B: Em relação a ASTD International Conference & Exposition, qual foi o grande destaque do evento?

F: Essa foi a terceira ASTD consecutiva da SG! Na conferência do ano passado ficou no ar um convite a desconstrução. Ou seja, como tecnologia e habilidades humanas se integram para formar um aprendizado perfeito. E nesse ano a desconstrução aconteceu! O que em 2012 foi apresentado como tendência, em 2013 aprendemos efetivamente. A minha participação foi focada nas trilhas de aprendizagem relacionadas a desenvolvimento de liderança, design e facilitação de aprendizagem e tecnologias de aprendizagem. Técnicas de conversação, por exemplo, podem ser utilizadas para a conquista de uma liderança mais eficaz ou ser usada como uma ferramenta facilitadora. Outra palestra muito enriquecedora foi sobre Storytelling. Tivemos insights muito importantes para a implementação da ferramenta com eficácia nas organizações. O networking também foi ótimo, fizemos contatos importantíssimos com profissionais do mundo inteiro!

B: Para finalizar, temos mais coisas boas em vista?

F: Definitivamente a SG não para por aí! Nosso radar está ligado e ficamos sempre de olho no que rola ao redor do mundo. Quando detectamos uma novidade que pode agregar valor ao nosso cliente nós não medimos esforços para buscá-la! A SG está sempre em busca do novo para sempre oferecer resultados de qualidade.