Flora Alves lançará livro sobre o gamification

valencia2

Quem acompanha a página da SG no Facebook já sabe que, no mês passado, nossa sócia-fundadora embarcou para Valência, na Espanha, onde passou uma temporada dedicada à produção de seu livro. De volta ao Brasil, Flora Alves conta sobre o processo de pesquisa e criação dedicada à publicação e o porquê da escolha do gamification como tema principal do livro.

BLOG: Como surgiu a ideia de escrever um livro? A escolha do tema já era uma certeza ou foi sendo amadurecida com o tempo?

FLORA: Acredito que escrever um livro seja algo que todos nós, em algum momento de nossas vidas, desejamos fazer. Para mim era um sonho antigo, pois tenho uma história de amor com os livros desde muito cedo, herança de minha mãe. A escolha do tema, entretanto, foi uma consequência natural de uma jornada de pesquisa e mergulho profundo no universo do Gamification. Num dado momento, foi como se o livro me pedisse pra ser escrito.

B: O que exatamente ele irá abordar? Teremos algo específico ao público brasileiro?

F: O livro aborda o conceito todo. Desde seu significado, origem e história até exemplos práticos, referências para aprofundamento de pesquisa e uma ferramenta para o leitor se aventurar na construção de uma solução gamificada. O conceito central gira em torno do uso do gamification na aprendizagem. Por ser um livro técnico, com características didáticas, ele se destina a todos os profissionais ligados à educação – seja ela corporativa ou não – e que estejam em busca de soluções de aprendizagem engajadoras, capazes de motivar a ação e mudar comportamentos.

B: Como a sua ida a Valência ajudou no processo de criação?
F: Escrever um livro exige foco, concentração e uma boa dose de transpiração. Senti que precisava me descobrir nesta atividade e escolhi Valência por duas razões. A primeira foi a oportunidade de estar com amigos muito queridos, que me receberam em sua casa e me proporcionaram o equilíbrio perfeito entre acolhimento, carinho e espaço para criar. Carla Bello e Javier Barrasa Sierra tiveram um papel fundamental neste processo, meu eterno agradecimento a ambos. A segunda foi o encantamento que Valência exerce em mim. Uma cidade pequena, quente, viva e repleta de história. Isso sem falar na arquitetura, na oportunidade de viver ao ar livre mesmo no inverno e a gastronomia ímpar. Simplesmente o cenário perfeito para este projeto.

B: Quais foram os principais desafios encontrados nesse processo?
F: Sem dúvida, o principal desafio foi encontrar a forma, descobrir o estilo, criar um livro rico em conteúdo e consistência sem ser chato ou cansativo, com reflexões, exemplos, atividades e ganho efetivo para a prática profissional do leitor. Nos primeiros dias, me senti como se eu mesma fosse um personagem de um game, lutando para passar para a próxima etapa. Era como se uma pilha de folhas virtuais amassadas fosse crescendo a meu lado até que chegasse o momento do “aha!”. Foi aí que o processo se transformou num fluxo suave e estruturado.

B: Como a sua experiência no assunto pode ser sentida no livro?

F: Isso foi a base de tudo. O livro não existiria sem a experiência. Ele é o resultado de meu próprio processo de aprendizagem e prática no desenvolvimento de soluções de aprendizagem gamificadas. O contato com clientes foi um laboratório, pois juntos acreditamos no poder dos games e aprendemos a utilizar sua estrutura para promover engajamento e aprendizagem. Já com os alunos acontece um processo muito interessante, já que para eles (e também por eles) a pesquisa é contínua. Aprendemos muito mais quando ensinamos e assim construímos juntos oportunidades para o nosso laboratório diário.

B: O livro já está finalizado?

F: O projeto está 70% pronto. Um trabalho intenso, cheio de carinho e muita, mas muita aprendizagem!

B: Já há uma previsão de lançamento?
F: Minha meta é ter o livro publicado em meados de Setembro. Tudo indica que estará disponível na versão impressa e digital.

B: O que podemos esperar de novidades sobre o gamification?
F: Melhor do que falar é proporcionar a você a oportunidade de refletir sobre o que vem por aí. Por isso, convido todos a fazerem uma pausa de 8 minutos para assistir a um projeto de graduação de Eran May-raz e Daniel Lazo. Clique aqui e, depois, me conte o que você acha que vem por aí quando o assunto é gamification!

Comentários (0)