Arquivo

O desafio foi construir métodos / processos para a integração da agência como um todo. Metodologia INCRÍVEL!!!
Recomendamos fortemente a empresas que queiram promover mudanças e estruturar novos processos de maneira inovadora e divertida.

Participante Treinamento LEGO® SERIOUS PLAY®

STORYTELLING

Storytelling em ação

Hoje, damos continuidade à nossa série de posts que mostra as principais ferramentas e tendências do momento utilizadas na prática. Depois de vermos como atitudes simples do dia a dia podem ser transformadas em tarefas divertidas com a ajuda do gamification, é hora de entender por que uma boa história pode gerar fidelização e engajamento seguindo as propostas do storytelling.

Como nós já explicamos nesse post completo, contar uma história é uma ótima maneira de se aproximar do seu público alvo, pois o enredo tende a despertar o lado emocional da audiência, gerando identificação ou servindo como inspiração para a mudança de comportamento – trazendo a ação para a vida real. A seguir, confira três exemplos de storytelling que vão te emocionar e impressionar.

Case 1: Doar é a melhor comunicação

Esse vídeo foi criado por uma operadora de celular tailandesa e já atingiu mais de 5 milhões de visualizações na internet. A história é simples, mas bem elaborada, o que causa empatia e emoção entre os telespectadores. Ao longo da narrativa, é possível perceber as diferentes etapas do storytelling: início (apresentação dos personagens, tema e conflito), meio (problema) e fim (moral da história).

Case 2: Happy hour desastroso

O vídeo a seguir alerta sobre o sempre discutido perigo de misturar álcool e direção. Mas, em vez de apostar na forma clássica que estamos acostumados a ver na televisão, os criadores tiveram uma ótima sacada e acrescentaram a tecnologia como diferencial da história. E o resultado ficou ótimo!

Case 3: Vida adolescente na tela do computador

Também de olho na nossa rotina on-line, dois estudantes de cinema canadenses criaram o filme “Noah”, um curta-metragem de 17 minutos que revela o cotidiano multitask de um adolescente. A trama toda acontece na tela do computador do garoto, enquanto ele usa o bate-papo com os amigos no Facebook, fala com a namorada no Skype e acessa inúmeras páginas online – tudo ao mesmo tempo. Quem aqui não se identifica?

Conhece mais algum exemplo legal de storytelling? Então divide com a gente aqui nos comentários ou escreva parasg@sgconsult.com.br.

Fontes: Portal Administradores, Nós Geeks e Info.

GAMIFICATION

Gamification em ação

Quem está sempre de olho no Blog SG já sabe que o gamification é uma das principais tendências do momento – dentro e fora do universo coorporativo. Resumidamente, trata-se de uma ferramenta que se apropria dos conceitos e mecânicas dos jogos para promover a interação e estimular o engajamento de clientes, colaboradores e até da população como um todo. Vale lembrar que nós já fizemos um post completinho sobre o assunto e você pode acessá-lo aqui.

Ok, agora que todos já estamos familiarizados com a teoria do gamification, que tal conferir a utilidade dessa ferramenta na prática? A SG Soluções e Gestão Empresarial selecionou três cases de sucesso que exemplificam como tarefas rotineiras podem ficar muito mais divertidas com um toque de criatividade. Inspire-se!

Case 1: Escorregadores substituem escadas

Nas cidades de Utrecht, na Holanda, e Berlim, na Alemanha, escorregadores foram instalados em estações de trem e metrô como alternativa às tradicionais (e nada emocionantes) escadas. Além de atrair pessoas de todas as idades e transformar uma ação simples do cotidiano em algo divertido, os escorregadores ajudaram a melhorar o fluxo de passageiro dentro das estações.

Case 2: Brincando de reciclar

Com o intuito de aumentar o número de garrafas de vidro destinadas à reciclagem, os suecos criaram um ponto de coleta completamente lúdico e diferente: a lixeira era formada por seis aberturas e, quando utilizada, luzes indicavam o buraco correto onde a pessoa deveria depositar sua garrafa. Para complementar, um painel luminoso mostrava o total de pontos acumulados por cada pessoa. Resultado? Em uma única tarde, a “lixeira divertida” foi usada 50 vezes mais do que a convencional.

Case 3: Salvando vidas

Já na cidade alemã de Hildesheim, a ideia foi usar o conceito do gamification para reduzir os números de atropelamento. Impacientes com os faróis de trânsito, muitos pedestres se arriscavam a atravessar a rua no momento impróprio e acabavam vítimas de acidentes. A solução foi instalar um jogo simples, clássico nos anos 80, perto da faixa de pedestres. Assim as pessoas podiam se distrair enquanto aguardavam a liberação da passagem. Simples, porém muito efetivo!

Quer descobrir como o gamification pode ajudar a conquistar melhores resultados quando o assunto é treinamento? Então se inscreva no CBTD 2013 e participe do nosso workshop “Desmistificando o Gamification – do Conceito à Prática”.

 Fontes: Hypeness, The Fun Theory e StreetPong.

performance_support

Sistemas de suporte a performance

Uma vez que a necessidade de treinamento é diagnosticada dentro de uma organização, a questão que logo vem à cabeça de um profissional de T&D é quanto à definição do método, do design e da aplicação desse processo de aprendizagem. Sabemos que boas escolhas são aquelas baseadas nos resultados esperados. Ou seja, primeiro é preciso ter em mente aonde se quer chegar, para depois traçar o melhor caminho até lá. Além disso, é importante levar em conta particularidades da audiência a qual o treinamento será aplicado, como a diferença etária entre os participantes, a possibilidade de resistência ao uso de novas tecnologias e, até mesmo, debates culturais e de valores.

Pensando justamente em facilitar esse processo, os autores Bob Mosher e Conrad Gottfredson criaram o “Sistema de Suporte ao Desempenho”. Trata-se de uma metodologia que ajuda consultores e instrutores a identificarem em qual momento encontra-se a necessidade de treinamento de determinado grupo e, consequentemente, o melhor formato e conteúdo para tal objetivo. De acordo com os pesquisadores, cinco momentos diferentes caracterizam a necessidade de aprendizado. São eles:

1. Quando aprendemos um determinado assunto pela PRIMEIRA VEZ.

2. Quando precisamos aprender MAIS sobre determinado assunto.

3. Quando devemos nos LEMBRAR do que aprendemos, transformando teoria em PRÁTICA.

4. Quando há algum tipo de MUDANÇA no cenário.

5. Quando algo dá ERRADO.

Mosher e Gottfredson também dividem esses momentos em duas fases diferentes. A primeira delas é chamada de “fase de aquisição de conhecimento”, englobando as duas primeiras situações citadas acima. Ao identificar esse cenário, os autores sugerem uma metodologia de treinamento mais formal, pois o assunto será abordado pela primeira vez ou sob um novo ponto de vista. Nesse caso, treinamentos presenciais, dinâmicas de grupo ou o uso de jogos figuram como as melhores opções para garantir o aprendizado.

A segunda fase é conhecida como “aplicação de conhecimento” e refere-se aos três últimos momentos. Aqui é hora de transformar o aprendizado em ação, estando ciente de que mudanças e erros podem surgir ao longo do caminho. Para lidar com esses possíveis imprevistos, Bob Mosher e Conrad Gootfredson sugerem soluções de treinamento informais, fornecendo materiais de suporte para que o colaborador consiga atingir a meta desejada. Algumas alternativas são o uso de material on-line, como os fóruns de discussão, ou o conteúdo mobile, que pode ser acessado a partir de diferentes plataformas.

Aprendemos assim que, apesar de representarem diferentes necessidades, esses cinco momentos estão intimamente ligados. Ou seja, um treinamento deve ser pensando não apenas no momento da aprendizagem, mas também visualizando sua prática e oferecendo suportes para que uma tarefa seja executada com êxito.

Para finalizar, vale lembrar que, no ano de 2011, a SG Soluções e Gestão Empresarial conquistou certificação internacional sobre esse assunto ao participar do workshop Learn Now, em Chicago (EUA). Nós temos a excelência necessária para a aplicação da metodologia de “Sistema de Suporte ao Desempenho”, com garantia de resultados efetivos para a sua organização.

Dúvidas sobre o assunto? Escreve para a gente: sg@sgconsult.com.br